Meu filho só quer colo! O que fazer para tirar este hábito?

Seu filho aprendeu a andar, e embora ache divertido sempre que precisa ir para algum lugar ele prefere que você o carregue no colo por todo o trajeto? E quando você se cansa e decide colocá-lo no chão, ele chora?

 

Isso é bem comum em crianças entre 1 e 3 anos, e embora muitos pais pensem que é manha ou preguiça, entenda que pode ser apenas um pedido de carinho, um desejo de olhar as coisas do alto, de te ver e te escutar de perto ou de se proteger de possíveis perigos que estão no chão.

 

Se coloque no lugar do seu filho, enxergue pelo olhar dele e ficará mais fácil entender seu comportamento!

 

Mas é claro que todo exagero não é saudável, é importante que a criança ande, faz parte de seu desenvolvimento, e portanto você pode incentivá-la.

 

Dicas para estimular a criança a caminhar

1ª - Seja empático quando ela solicitar colo, e tente entender o porquê dela não quer ficar no chão. Será que é cansaço, medo, carência do seu afeto, ou porque acha seu colo mais divertido? E então a reconforte em sua necessidade.

 

Se for cansaço: vocês podem dar uma pausa, e sentar onde estão mesmo, logo ela ficará entediada e vai querer voltar ao movimento.


Se for medo de algo: como um cachorro, carro ou buraco descreva o que está gerando o medo nela e reassegure que não a fará mal, você pode usar brincadeiras para isso, pois a criança ainda não entende explicações lógicas. Então você pode fingir que é um carro e mostrar que os carros andam só na rua, e que as pessoas andam na calçada e por isso a calçada é segura.


Se for medo de ficar longe de você: reassegure que você não irá se afastar, que estará no mesmo local quando ele voltar, e realmente nunca saia sem avisar. Estabelecer a confiança nesta fase é  importante.


Se for carência: exponha seu amor por ela e o quanto gosta também de ficar junto a ela, e que sempre estará a disposição para o que ela precisar, mas que pode ir brincar no chão e voltar quando desejar.


Se for porque seu colo é mais legal que o chão: estimule brincadeiras de andar ou correr, tais como, quem chega primeiro a determinado ponto, quem dá o passo mais largo, quem acha um muro de determinada cor, enfim, use a criatividade. O importante é tornar o caminhar divertido.


2ª - Encoraje quando ela fizer uma caminhada, mostrando o quanto está forte, o quanto é agradável caminhar com ela. Elogios sinceros elevam a autoestima e estimulam a repetição do comportamento.

 

3ª - Faça combinados, por exemplo: revezando entre a caminhada e o colo para cada trecho do percurso. Cada vez que você considera os sentimentos da criança e faz combinados em que ela também opina, a cooperação é maior, então deixe escolher em qual trecho quer andar e qual quer ir ao seu colo. Isso estimula inclusive, que ela aprenda a esperar para que seu desejo seja atendido.

 

4ª - Crianças pequenas precisam estar seguras, nesse caso antes de colocá-la no chão estabeleça os limites, e reassegure que ela entendeu: identificar quanto ela pode se distanciar de você, em quais pontos precisa andar de mão dada ou segurando no carrinho, onde precisa parar, em que sinal ela precisa voltar próximo de você. Isso é importante para tornar o passeio agradável e não gerar conflitos e brigas quando ela sai correndo e você se preocupa com a segurança.

 

Aqui vale também usar a criatividade, colocando as regras de forma lúdica, por exemplo: "quando mamãe imitar uma sirene significa que você precisa voltar", "você pode ficar a apenas 3 passos de elefante do papai", no momento em que você coloca de forma divertida a criança se engaja e entende melhor.

 

Com estas dicas e empatia pelas necessidades da criança, vocês chegarão a um consenso comum, que seja saudável e agradável tanto para a criança, quanto para os pais.

 

Clique no vídeo abaixo para ver a resposta à dúvida de uma mãe que tinha essa mesma dificuldade.

 
Este vídeo faz parte da Série Coaching de Emoções, no  qual aborda os conceitos da Inteligência emocional e os efeitos benéficos para o desenvolvimento da criança que conta com Pais Aprovadores.

 

Conteúdo Phitters publicado originalmente no blog da Leiturinha

 

Sobre a especialista:

 

 Natasha Bazhuni
• Doutora em Psicologia Clínica pela USP (2016);
• Mestre em Psicologia Clínica pela USP (2010);
• Especialista em Psicopatologia e Saúde Mental pela USP (2005);
• Graduada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2003);
• Atua como Psicóloga Clínica em consultório particular desde 2004 no atendimento a adultos e crianças;
• Professora de graduação em Psicologia desde 2007;
• Coordenadora e professora de cursos de Pós-graduação em Saúde Mental e Psicopatologia, Psicologia Infantil e Psicanálise desde 2010.
• Autora do Livro: Circunscrevendo o Campo diverso, divergente e diferente do Acompanhamento Terapêutico, 2010. Biblioteca24h.
• Associada fundadora da Associação Brasileira de Pesquisa em Prevenção e Promoção da Saúde (BRAPEP), 2016.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Como identificar que meu filho é dependente de tecnologia?

1/9
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
cursos online para pais