Doula: o que é e como pode me ajudar no parto?

As "doulas" são mulheres treinadas e preparadas para ajudar a grávida a alcançar o parto que espera, oferecendo apoio emocional, informativo e técnico à mãe e seu parceiro antes, durante e após o parto.  

 

Mas como acontece esse apoio? Qual a diferença entre a doula e os demais acompanhantes e equipe obstétrica?
 

No vídeo abaixo, a doula e especialista em psicologia perinatal, Marcela Oliveira, explica o que faz uma doula.

 

 

 

A doula fornece informações embasadas em evidencias científicas para que o casal possa fazer suas próprias escolhas e tirar dúvidas sobre o parto e pós-parto. Auxilia com massagens, encorajamento no período expulsivo e outras medidas de conforto, sugerindo posições e técnicas para aliviar a dor e facilitar um trabalho trabalho de parto mais suave e efetivo. Também garante que os desejos da mãe sejam respeitados, e por isso, muitas mulheres consideram que a doula é uma necessidade absoluta, especialmente para aquelas que dão à luz em hospital, devido à alta chance de medicalização e intervenções médicas, algumas vezes, desnecessárias.

 

A doula atua como defensora da mãe, encorajando e ajudando-a a satisfazer seus desejos, em prol de um parto positivo e seguro, seja normal ou cesariana, ou mesmo com nascimentos complicados que exigem assistência médica diferenciada.

 

A maioria dos relacionamentos doula-cliente, começa alguns meses antes do bebê nascer. Durante este período, se desenvolve um relacionamento em que a mãe se sente à vontade para expressar seus medos e preocupações, e junto com a doula, criar seu plano de parto, e assim definir quais serão as atividades de suporte de acordo com as necessidades, desejos e cultura da mulher.


Estudos mostram que o suporte de um doula durante o parto, diminui a chance de cesarianas e relatos de experiências negativas. Além disso, o trabalho de parto, geralmente, é mais curto. Assim, a mãe e seu parceiro, podem vivenciar esse momento de forma mais satisfatória, da gravidez ao pós-parto. Este tipo de suporte permite que toda a família relaxe e aproveite a experiência também. 


Mas lembre-se! Ela não tomará decisões, irá apenas ajudar no processo de tomada de decisão pela mãe e seu parceiro. Por isso, o trabalho dessa profissional não substitui outras formas de apoio, como companheiro, enfermeiro ou médico. Ela desempenhará um papel não clínico, tornando-se uma adição valiosa ao time de nascimento.


Quando a mãe tem conhecimento e consciência do processo de nascimento, pode fazer melhores escolhas e vivenciar esse momento de forma plena.


Para ver todos os episódios da Série “Doulagem”, clique aqui.


Referências:
 

HODNETT, Ellen D., et al. Continuous support for women during childbirth. Cochrane Database Syst Rev, 2012, 10.
 

GREEN, Jeanne; HOTELLING, BARBARA A. Healthy birth practice# 3: Bring a loved one, friend, or doula for continuous support. The Journal of perinatal education, 2014, 23.4: 194.

 

Sobre a especialista:

 

Marcela Ursulina de Oliveira

  • Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental – Centro de Estudos em TCC (CETCC)

  • Especialista em Psicologia Perinatal e Parental  - Instituto Gerar

  • Doula e Consultora de Gestantes e Puérperas

  • Psicóloga

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Como identificar que meu filho é dependente de tecnologia?

1/9
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
cursos online para pais