Balançar ou não o bebê para dormir? Será que isso é bom?

Por que parece automático balançarmos o bebê para dormir, certo? Será que isso é bom?

 

Nunca é uma má ideia abraçar o bebê e dar-lhe muito amor e carinho! Afinal, balançar o pequeno pode ser relaxante tanto para ele quanto para os pais.

 

Estudos mostram que, até em adultos, o balanço tem efeitos tranquilizantes, pois este movimento repetitivo ativa regiões do cérebro responsáveis pelo sono. No vídeo abaixo, a especialista e consultora de sono, Deborah Moss, apresenta o resultado de uma pesquisa sobre o “balançar para dormir”.

 

 

 

No útero, o bebê está o tempo todo sendo levado pelo movimento da mãe e em uma posição de aconchego. Não é de se estranhar que fora dele, também se acostume com o movimento dos braços dos pais.

 

Mas, será que há algum momento em que balançar o bebê para dormir não é indicado? Esta é uma resposta que cabe apenas aos pais analisarem, pois não há contraindicações. O que há é o estabelecimento de um hábito e o único critério a ser avaliado é o quanto os pais se adaptam a este hábito.

 

Se o bebê, após dormir no balanço dos braços, ao ser transferido para a cama, dorme bem à noite e os pais curtem esse momento, então não há nada de errado!

 

É importante ficar atento somente quando se cria uma associação em que o bebê precise do balanço todas as vezes que acordar no meio da noite. Ou quando o bebê não consegue voltar a dormir sem a intervenção e colo dos pais e isso esteja os levando à fadiga, pois na primeira infância é muito comum os bebês acordarem várias vezes no meio da noite.

 

Quando alguém da família não tem noites reparadoras, é necessário reavaliar a dinâmica. Portanto, apesar do comportamento de balançar os pequenos seja algo natural de acontecer, muito gostoso e saudável, é preciso compreender em quais momentos isso pode ser ou não favorável para o adormecimento do bebê.

 

Referências:

  • WEISSBLUTH, Marc. Healthy sleep habits, happy child: A step-by-step program for a good night's sleep. Ballantine Books, 2015.


Sobre a especialista:

 Deborah Moss
• Mestre em Psicologia do Desenvolvimento Humano – USP/SP;
• Pós-graduada em Neuropsicologia – CEPSIC;
• Consultora materno-infantil – IMPI Maternity & Child Sleep Consult Certification Program;
• Especialista do programa Doces Sonhos (Brasil) do Discovery Home and Health;
• Consultora em educação em saúde - Escola Nacional de Saúde Pública - ENSP/FIOCRUZ;
• Graduada em Psicologia – PUC/SP.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Como identificar que meu filho é dependente de tecnologia?

1/9
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
cursos online para pais