Aprenda a arte de dizer “não” para os filhos

“- Não faça isso!”

“- Pare! ”

Quantas vezes você repete isso por dia?

 

Muitos pais ao tentarem se prevenir do mau comportamento dos filhos, começam a dizer “não” para, absolutamente tudo o que eles fazem. Estudos demonstraram que dizer “não” de forma demasiada, prejudica a ampliação das habilidades de linguagem, uma vez que a situação não é utilizada como um momento de aprendizado, um momento para explicar sobre os motivos daquelas regras e restrições.

 

Se o foco do desenvolvimento é conhecer, explorar e experimentar. Não é contraditório que as crianças sejam punidas pelo que estão programadas em seu desenvolvimento?

 

No vídeo abaixo a especialista e Dr. Natasha Bazhuni, explica em detalhes como os pais podem dizer “não” de forma assertiva.

 

 

É claro que durante o processo de aprendizagem, não significa que as crianças estejam autorizadas a fazer o que quiserem. É necessário que os pais as guiem, mas, é importante que os métodos para obter cooperação sejam gentis e firmes, ao invés de controladores e punitivos.

 

Nesse sentido, os limites devem mudar ao longo do crescimento da criança e variar de acordo com seu temperamento, idade e contexto. Limites claros e consistentes, desempenham papel crítico para ajudar as crianças a se controlarem, pensarem nos outros, regularem suas emoções e fazerem boas escolhas à medida em que crescem. As crianças precisam de nós para estabelecer fronteiras e comunicar nossas expectativas. Mas a chave aqui, é começar pela sintonia ao mundo interno dos filhos, permitindo que eles saibam que são vistos, ouvidos e amados pelos pais.

 

Conheça 4 dicas de como ser assertivo ao dizer “não” para os filhos:

 

1° Dica: Explicar
Não basta dizer "não". As crianças não entendem e são susceptíveis de repetir a má conduta, a menos que você dê uma explicação. A maneira mais eficaz de dizer "não" é dar razões válidas para o seu filho entender.


2° Dica: "Sim" pode significar "não"
É perfeitamente possível dizer "sim" ao significar "não". Por exemplo, se o seu filho pede um chocolate, você pode responder: "Sim, você pode comer chocolate após o jantar". Desta forma, a criança tem a oportunidade de obter o que deseja e aprende a comprometer-se.


3° Dica: Diga “não” com uma alternativa
Dar alternativas pode convencer o seu filho de que não declina seu pedido. Por exemplo: "Não, querida, você não pode comer doces, você pode ter uma maçã em vez disso”. A alternativa abre as portas para uma explicação sobre os benefícios para a saúde das maçãs e sobre doces.


4° Dica: Não dê falsas esperanças
Os pais costumam dizer: "Agora não, filho" Se não agora, então quando?
Se você não cumprir sua promessa implícita, seu filho pode começar a ter problemas de confiança. Dê um período concreto. Por exemplo: "Agora não, filho. Nós vamos comprar isso para o seu aniversário".

 

 


Sobre a especialista:

 

 Natasha Bazhuni

• Doutora em Psicologia Clínica pela USP (2016);
• Mestre em Psicologia Clínica pela USP (2010);
• Especialista em Psicopatologia e Saúde Mental pela USP (2005);
• Graduada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2003);
• Atua como Psicóloga Clínica em consultório particular desde 2004 no atendimento a adultos e crianças;
• Professora de graduação em Psicologia desde 2007;
• Coordenadora e professora de cursos de Pós-graduação em Saúde Mental e Psicopatologia, Psicologia Infantil e Psicanálise desde 2010.
• Autora do Livro: Circunscrevendo o Campo diverso, divergente e diferente do Acompanhamento Terapêutico, 2010. Biblioteca24h.
• Associada fundadora da Associação Brasileira de Pesquisa em Prevenção e Promoção da Saúde (BRAPEP), 2016.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Como identificar que meu filho é dependente de tecnologia?

1/9
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Categorias
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
cursos online para pais